Musica do Parnaso

Przednia okładka
Ateliê Editorial, 2005 - 423
Música do Parnaso foi a obra escolhida para a celebração de dez anos da Ateliê Editorial. Isso porque ela possui grande importância para a cultura brasileira – não somente pelo valor literário, mas pela raridade do documento e pela beleza da composição visual. Assim, esta primorosa edição fac-similar recupera o engenho do poeta barroco e o melhor da arte gráfica portuguesa do século XVII. O livro é acompanhado de um minucioso estudo de Ivan Teixeira, professor da Universidade de São Paulo e da Universidade do Texas. Edição fac-similar Apresentação e organização Ivan Teixeira

Spis treści

A POESIA AGUDA DO ENGENHOSO FIDALGO MANUEL
Petrarquismo
Leitores de Botelho
Poesia Acadêmica
Estrutura Musical
Lirismo e Sociedade
Navegaçao amorosa
1
Anarda invocada I
2
Que seu amor se vé perdido nos olhos coraçaõ de Anarda
155
Que a fermosura naõ há de ser amante para ser amada
156
Que nao pòde o Amor abrazar a Anarda
157
Lagrymas de Anarda por occasiaõ de seus desdens
158
Amor namorado de Anarda
159
Cançoens
160
Anarda fingindo ciumes
162
Madrigaes
164

Sol Anarda
3
Panegírico e Correlações
4
Cega duas vezes vendo a Anarda
5
Ponderação do rosto olhos de Anarda
6
Ponderaçao do Tejo com Anarda
7
Anel de Anarda ponderado
8
Anarda esculpida no coraçaõ lagrymoso XVI Anarda temerosa de hum rayo
9
Vida em Papel
10
11 A hum Cupido de ouro que trazia preso Anarda nos cabellos
11
Bibliografia
19
x Comparação do rosto de Medusa com o de Anarda
25
Anarda doente
31
Anarda vista de noyte
37
xi Prologo ao Leytor
39
Sonetos
43
Ao General Joao Correa de Sà vindo da India
47
Decimas
59
Redondilhas
66
Romances
70
Contra os Julgadores
85
Ao mesmo Senhor mandando a seu filho
89
Versos Varios Rimas Portuguesas 43 Sonetos 91 Panegyrico
91
Á Rosa
100
Cancoens Varias
104
Descripçaõ do Inverno
116
Descripção da Primavera
119
Ao Ouro
121
Saudades de hum esposo amante pela perda de sua amada esposa
124
Á Ilha de maré termo desta Cidade Bahia Sylva
127
Romances
137
A hua Dama que tropeçando de noyte em hũa ladeyra perdeu huma memoria do dedo
139
Pintura de huma Dama conserveyra
141
Pintura dos olhos de huma Dama
143
Pintura de huma Dama namorada de hum Letrado
144
Á fonte das lagrymas que está na Cidade de Coimbra
146
SEGUNDO CORO DAS RIMAS CASTELHANAS
149
Sonetos
151
Encarecimento da fermosura de Anarda
152
Naō pòde amar outra Dama
153
Que o amor há der ser pouco favorecido
154
Anarda vista amada
165
Amor declarado pelos olhos
166
Amor medroso
167
Ays repetidos
168
Guerra amorosa
169
Decimas
170
11 Coraes de Anarda
171
Iv Sono invocado
172
Romances
175
Anarda colhendo flores
178
Anarda sahindo a hum jardim
184
Versos Varios Rimas Castelhanas
191
Sonetos
193
Cançoens
196
Romances
200
Despedida amorosa
204
A hum Rouxinol
206
Ao Amor
207
Ao Excellentissimo Senhor Marquez de Marialva dandolhe os Parabens àa Vittoria de Montes Claros
209
A Dom Joao de Lancastro dandolhe as graças a Cidade da Bahia por trazer a ordem de Sua Magestade para a casa da Moeda que de antes tinha prom...
210
Ao Senhor Dom Rodrigo da Costa vindo a governar o Estado do Brasil
212
TERCEYRO CORO DAS RIMAS ITALIANAS 215 Sonetos
215
TERCEYRO CORO DAS RIMAS ITALIANAS Sonetos 1 Anarda querida na occasiam de suas lagrymas
217
Atrevimento lagrymas 218 I
218
Endimiao amado da Lua
219
A Dom Luis de Sousa Doutor em Theologia alludindo às Luas de suas Armas
220
Madrigaes
221
Compara se Anarda com a pedra
222
Anarda fugindo
223
QUARTO CORO DAS RIMAS LATINAS
225
Heroycos
227
Epigrammas
228
Colloquium Elegiacum
231
DESCANTE COMICO REDUSIDO EM DUAS COMEDIAS
237
Hay Amigo para Amigo
239
Amor Engaños y Zelos
281
Sonetos
II Lacre atrevido a hua mão de Anarda
MÚSICA DO PARNASO 5
Prawa autorskie

Inne wydania - Wyświetl wszystko

Informacje o autorze (2005)

Manuel Botelho de Oliveira (Salvador, 1636 — 1711) foi advogado, político e poeta barroco de nacionalidade portuguesa nascido no Brasil colônia. Foi o primeiro autor nascido no Brasil a ter um livro publicado.Filho de um capitão de infantaria, cursou Direito na Universidade de Coimbra, em Portugal. De volta ao Brasil, passou a exercer a advocacia e foi eleito vereador da Câmara de Salvador. Em 1694 tornou-se capitão-mor dos distritos de Papagaio, Rio do Peixe e Gameleira, cargo obtido em função de empréstimo de 22 mil cruzados para a criação da Casa da Moeda, na Bahia.Manuel Botelho de Oliveira conviveu com Gregório de Matos e versou sobre os temas correntes da poesia de seu tempo.

Informacje bibliograficzne