Obrazy na stronie
PDF
ePub

Concluiremos este capitulo com o magnifico testemunho do celebre Rousseau, acerca da divindade de Jesus Christo, e do seo Evangelho. “ Eu vos confesso, diz elle, que a magestade », das Escripturas me assombra, e que fulla ao » meo coracao a santidade do Evangelho. Véde », os livros dos Philosofos com toda a sua pom,, pa : e quão pequenos á vista deste! He crivel, „ que seja obra dos homens, um livro tão sim

ples, e tão sublime ao mesmo tempo ? He crivel, que seja puramente homem aquelle ,

de quem se escreve a historia ? He este o i, tom de um Enthusiasta, ou de un sectario i, ambicioso ? Que dogura, e que pureza nos », seos costumes! Que graça tocante nas suas

mas! Que profunda sabedoria nos seos dis. cursos!. Que presença de espirito, que destreza, e exactidão nas suas respostas ! Que imperio sobre as suas paixoens! Onde está o homem, onde está o sabio, que sabe obrar,

soffrer, e morrer sem fraqueza, e sem os, „, tentacao ? Quando descreve Platão o seo justo

imaginario, cuberto de todo o opprobrio do », crime, e digno de todos os premios da vir„ tude, pinta a Jesus Christo feicao por feicao : „ a semelhanga dá tanto nos olhos, que todos „ os Padres a perceberam, e não he possivel in haver engano. Que prejuiso, e cegueira não lie necessaria para comparar o filho de Sofro,, nisco, com o filho de Maria ? Que distancia

de um a otro ? Socrates morrendo sem dôr, , e sem ignominia sustenta facilmente até o fim ,, o papel de Heróe; e se esta inorte facil não ,, tivesse honrado a sua vida, duvidar-se-hia ,

se Socrates, com todo o seo espirito, era ou

tra alguma cousa, do que un Sofista : in,, ventou a moral : antes delle, outros a tinham ,. posto em pratica; não fez mais que dizer o ,, que os outros tinham feito, e reduzir á lições ,, os seus cxemplos. Aristides tinha sido justo , ,, antes que Socrates dissesse o que era justi,,ca. Leonidas tinha morrido em defeza do seo ,, paiz, antes que Socrates, fizesse um dever », do amor da patria. Esparta era sobria , antes ,, de Socrates ter louvado a sobriedade; antes ., que elle livesse definido a virtude, abundava ,, a Grecia em homens virtuosos. Mas entre os », seos, onde acharia Jesus esta inoral elevada , »; e pura , de que elle só deo ligoens, e exem,, plo ? do seio do mais furioso fanatismu, se „, fez ouvir a mais alta sabedoria; e a simpli„, cidade das mais heroicas virtudes honrou o ,, mais vil de todos os povos. A morte de So,, crates, philosofando com seos amigos tran. » quillamenie, he a mais doce, que se póde o, apetccer; a de Jesus, expirando em tormen- tos, injuriado, motejado, e amaldiçoado por , todo um povo, he a mais horrivel, que se »; póde temer. Socrates pegando no cópo enve» nenado, abengoa aquelle, que lho apresenta , ... e que chora; Jesus no meio de um horroroso » supplicio, ora pelos seos mesmos carniceiros ,, algozes. Sim, se a vida, e a morte de So», crates são verdadeiramente de um sabio; a » vida, e a morte de Jesus são verdadeiramente „ de um Deos. „ (Emil. tom. 1. p. 165.)

[blocks in formation]

A Religião Christan provada pela ligacao, que se verifica entre as tres épocas

da Revelação.

50. O Deos de Adão, dos Patriarchas, e de Moyses he o mesmo, que o Deos dos Christãos : Moysés nada derrogou do dogma, ou da moral revelada aos Patriarchas: Jesus Christo conservou os mesmos dogmas, e moral de Moyzés, e dos Patriarchas, deo-nos porém ligoens mais claras, leis mais perfeitas, promessas mais vantajosas, uma esperança mais firme, motivos do amor de Deos, mais tocantes, gracas mais abundantes, meios de nossa santificacao mais faceis, c copiosos A Religião portanto nestas tres epocas não differe essencialmente. Os Christãos crem no Redemptor, que já veio; os Pa

SS2

triarchas, e os Judeos criam no Redemptor', que havia de vir. Esta fé era a mesma, igualmente firmada pela certeza das promessas de Deos, ou pela certeza do seo cumprimento. O plano da Religião he um, e começado na creagao. Náo póde considerar-se o Christianismo, como só, e sem relacao ao genero humano nas suas di, versas circunstancias : as tres revelações são correlatas, de sorte que não pode conceber-se uma sem suppôr as outras, e estão essencialmenta ligados entre si. Deos fez marchar a obra da Religião com a mesmo passo, que a da natureza : os homens de hoje são essencialmente os mesmos, que os dos primeiros seculos do muudo; mas a povoacao, a civilisacao, as artes, e as sciencias tem subido progressivamente o genero humano , até o ponto de perfeicao, em que hoje o conhecemos: da mesma sorte a Revelação dada aos primeiros homens no principio do mundo, era destinada a fundar a sociedade natural, e domestica, convinha a familias nascentes, e que não podiam ainda formar povoacoens consideraveis, era acommodada ao estado de cultura da razão do homem recem-formado : a segunda , de que Moysés foi orgão, dirigia-se evidentemente a estabelecer entre os descendentes de Abrahão uma sociedade nacional, e a fundar sobre uma mesma base a Religião, e as leis; legislação notavel, que Deos collocou de proposito no centro do universo entao conhecido, e que teria devido servir de modelo a todos os povos : a terceira Revelação foi feita por Jesus Christo quando as naçoens se achavam sufficientemente policiadas, para formar entre si uma sociedade religiosa iniversal, e tal foi o seo designio, quando ordenou a seos Apostolos, que pregassem o Evangelho a todas as nagoens -- euntes ergo docete omnes gentes. Cada uma destas revelacoens servio de preparação para a outra, e todas foram analogas ao estado, em que se achava o genero humano, em todas se esperava o Redemptor. Só a Religião Christan entre todas as que existem sobre a terra, apresenta esta conformidade, e ligação. Em todas estas primeiras revelacoens se observa uma cadêa de profecias, desde Adão até Jesus Christo, cada vez mais claras, que annunciam este divino Salvador, descrevem seo caracter , sua vida , sua paixão, sua morte, o ressurreição , e todas se ten cumprido. Nenhuma póde servir de modelo a outra, e todas annunciam accontecimentos, que só Deos podia prever. Logo depois da queda de Adão, dirige Deos

ao Tentador estas palavras - inimicitias ponam .. inter te, et mulieren , et semen tuum et sement

illius: ipsa conteret caput tuum – eu porei inimisades entre ti, e a mulher; tua descendencia, e a descendencia della : e a mesma mulher esmagará tua cabeça; isto he, a deseendencia dai

« PoprzedniaDalej »