Obrazy na stronie
PDF
ePub

.. A historia do Universo não nos“ apresenia uin só homem, que reunisse, em sua pessoa tantas, e. tão admirareis qualidades, eomo Jesus Christo : nenhum Legislador, ou. Fundador de Religião produzio jamais tantos signaes de uma divina Missão : JésusChristo. he o unico, que toma o titulo, e qualidade de. Filho de Deos; porém não: Ibe falta um só dos--caracteres , que deviam qualificar um Deus feito homem : a sabedoria de suas licoens, a sublimidade de sua doutrina , a santidade de sua moral transcende quanto se tem admirado nos mais distinctos Philosofos; o heroismo de suas virtudes, e o esa plendor de seos.... Inilagres - completam o quadro inagestoso da divina pessoa de Jesus-Christo..

Depois de ter sido annunciado por uma serie de profecias, no espaço de quatro mil annos, desde a creacao, esperado pelos Judeus , e-por todos os povos do Oriente, prevenido por um santo Precursor. o grande Baptista , e precedido por prodigios , Jesus Christo apparece na Judea, e prega a chegada do reino de Deos, Seo nascimento. he annunciado pelos Anjos aos Pastores dos..contornos de Bethlém, e por uma estrella aos - Magos de paizes remotos; e ao mes, mo tempo, que com prodigios patentea aos simplices sua grandeza, jaz na obscuridade para com os grandes de sua nacao, e deixa aos dou, tores na lei, e versados nas profecias, que por

ellas o distingam: persoguido em sua infancia, vai occultar-se no Egypto: descendente do sangue real de David, nenhum partido tira de sua origem , declara, que seo reino ráo he deste. mundo - regnum meum non est de hoc mundo: (S. Joao. c. 18. v. 36). Aos 12 annos de sut idade, explica a Escriptura perante os doutores. da lei, pergunta , e responde con tanta sabedoria, é prudencia, que assombra todos os cir'cunstantes — stupebant autern omnes, qui cumi audiebant, super prudentia , et responsis ejus: (S. Luc. c. 2. v. 47 ): passa na obscuridade e resto de sua infancia até o tempo, em que devia começar sua divina Missão. Prova sua. Mis. são, o confirma sua doutrina por uma multidão: de milagres: converte a agoa em vinho por oceasião das bôdas: em Caná de Galilea , multiplica os pães, cura os doentes, ' ressuscita os: mortos, acalma as tempestades, marcha sobre as agoas, e dá a seos discipulos. o poder de ubrar prodigios similhantes — Convocatis Apostolis, dear dit illis virtutem et potestatem super emnia demonia , et ut: languores curent - egressi aute izby circuibant per casteita , evangelizantes et cul-'s rantes ubique (S. Luc. c. 1. v. 1 e 6). : Nenhum destes milagres. he feito por inte.. rêsse, por vaidade, ou ostentação: recusa faze-. los para contentar a curiosidade', ou para punir: es incredulos : a docilidade, a confianca, os ro

gos são o meio de conseguir delle estes prodigios: assim cura a sogra de Pedro de uma grande febre., a filha de Jairo, os dez leprosos, ressus.cita Lazaro, a filha do principe da Synagoga, &c., e nada obra em presença de Herodes., e sua côrte, que muito desejavam conhecer de perto algum de seos milagres, e não satisfaz aos rogos malignos dos Pharizeos, e Sadduceos, que lhe pediam um signal do Ceo, (S. Math. c. 16. v. 1; S. Luc. c. 23. v. 8). Os impostores não perdem occasiaó de fazer valer os seos prestigios, e tem em vista o assombrar, e seduzir; Jesus Christo porém nao obra milagres, senão para consolar, instruir, e santificar os homens. Nao raciocina, nem disputa sobre os mysterios. que propõe para crer, como costumam fazer os Philosofos, mas exige que se acreditem sobre sua palavra, porque elle he o verdadeiro Filho de Deos, e seos prodigios o demostram : si mihi non vultis credere , operibus credite, dizia a seos ouvintes, se me não acreditaes a mim, dai credito ás obras, que eu faço : se os milagres, que opéro, sao dignos de um verdadeiro Filho de Deos , crede-me. (S. Joao c. 9. v. 37, e 38). He assim, que Deos devia instruir os homens, pois, (como diz Lactancio Divin. instit. 1. 3. .4. 2.“ nað era conveniente, que Deos fallando aos homens, empregasse raciocinios para confirmar seos oraculos, como se se podesse du

vidar do que elle diz; Jesus Christo ensinou , como era proprio do supremo arbitro do Uni: verso, ao qual nao he decente argumentar ,. NHS diz r a verdade. ,, ;.

A doutrina mysteriosa ,. que Jesus Christo ensina ,, nað se encaminha a assombrar o espirito do homem, mas sim a excitar nelle sentimentos de respeito, reconhecimento, e amor para com Deos: um. Deos en tres pessoas, cada uma das quaes está occupada en nossa santificação, um: Deos, feito homem para nos remir, e sal. var, que se nos dá ,, coino victima, e como alimento de nossas alias, que não permitte o pecu. cado), senão para melhor experimentar a virtude; que castiga neste mundo, não para se fazer temer, mas para salvar aquelles, que castiga.

A, sua moral he pura, e severa ,, mas sim, ples: e popular: não faz della uma sciencia pro.. funda, c raciocinada; a redaz, a maximas, e a: acommoda: á capacidade dos mais ignorantes, e a confirma com o seo exemplo. : Doce e affavel , indulgente, misericordioso ,. earitativo; amigo dos pobres, e dos fracos, não. desdenha a companhia dos peecadores, agazaha-os para os instruir, e conduzi-los amigavelmente ao caminho da virtude.- non est'opus valentibus medicus , sed male habentibus. - (S. Ma. th, c. 9 v. 12), respondia elle á critica , .com que a impostura Pharizaica censurava esta con

ducta -- 0$ sãos não precisam de medicos, mas sim os doentes. Bem longe de um rigorismo excessivo, que seria o caracter do homem fanatico, deseulpa , e defende seos discipulos, que os Pharizeos accusavam de não jejuar, como' elles, e de colher de passagem por entre as seáras algumas espigas no dia do Sabbado; releva os seos defeitos, e indiscricoens; acode, e corrige com suavidade á mulher adultera , dando traça a fazer retirar seos malignos accusadores : um impostor quereria antes captar a benevolencia dos grandes, dos ricos , e dos poderosos; adoptaria as praticas, com que a hypocrisia dos Pharizeos costumava illudir o povo, e procuraria agradar, è ganhar estes Doutores da lei; Jesus Christo respeita os homens constituidos em dignidade, rende homenagem á grandeza , e autoridade sem lisonja, e sem baixeza, manda dar a Cezar, o que he dc Cezar; declara ao povo Judeo., que deve ouvir com submissão, e observar a doutrina, que os Pharizeos, e Escribas lhe dictavam da cadeira de Moyzés, mas ao mesmo tempo The recommenda fugir de imitar os seos exemplos, e a estes mestres corrompidos lanca em rosto coin severidade suas maldades, seos crimes, e sua impostura. (S. Math. c. 23 v. 1. &c.) Não affecta em seos discursos uma eloquencia fastuosa, não ostenta costumes austeros, nem um ar mysterioso e reservado; promette a paz

[ocr errors]
« PoprzedniaDalej »