Obrazy na stronie
PDF
ePub

to he, revestido de uma missao divina, nao tem authoridade para dogmatisar : os talenios, as luzes, a santidade, e todas as yantagens possiveis de nenhuma sorte podem supprir a falta des. eta missao: Jesus Christo a communicou aos

Apostolos , e,estes a seus successores : esta mis. sai he attestada pela ordenação dada' á face da Igreja : desta maneira se tem perpetuado o Christianismo até nós, e assim, deve conservar-se até

o fim dos seculos: 2.que a Revelacao do -, Christianismo, que, he, um facto geral, deve provar-se, como bodo outro qualquer facto , pela tradiccio oral, pela historia escripta, pelos monumentus, ou pelos ritos exteriores, que lhe · sao relativos : nenhuma, destas provas deve ser

regeitada; de sua harmonia perfeita resulta o · mais alto gráo : de certeza, qual a que se exiį ge nos negocios mais importantes da vida : 3.

que este facto geral da revelacao do Christia. nismo se deconipoem ein uma multidaó de fa

ctos particulares, que devem provar-se da mesima sorte, que o facto geral: toda a questão sem materia de Religiao se reduz a perguntar

i se Jesus Christo, e os Apostolos ensinara no , tal doutrina ? nada importa que elles a nao 'es(i crevessem , porque nos restam ainda outras duas

provas, á saber, a tradiccno, e os monumentos. Logo toda a authoridade em materia de fé se reduz ao testemunho. Quando este testemu

ein

who he constante, uniforme, e universal da par: te das differentes Igwejus, ou sociedades Chris taas dispersas no mundo, ngó, pode ser falso: quando as testemunhas sao revestidas de caracter, juram, ; e protestam que lhes nao he nem permittido , nein possivel alterar o facto , de que depoem, seo attestado he o mais forte e respeitavel.

... Tal he o testemunho das Igrejas dispersas, eni nciado pela boca de seos Pastores. Donde. se segue, que a uniformidade, ou Catholicida de da doutrina entre estas sociedades dispersas he a verdadeira regra de fé para os grandes, e poquenos, para os sabios, e ignorantes. Nese ta fonte só he, que pode beber qualquer a pu: ra doutrina de Jesus Christo, é dos Apostolos. A Escriptura he um livro fexado para o sim ples fiel, que nao sabe lêr, e ainda menos, raciocinar, e discutir sobre o texto: he uma font te sellada , ou um jardim tapado para o sat bio, que nem póde apreciar sua authoridade; nem colher as verdades, que nella se encerram , sem, que a Igreja lho apunte, e abras, o diri, ja, e illustre. Logo regeitar a tradiccão pelo silencio' da Escriptura, em lugar de supprir esu te silencio pela tradicção, e pela força dos mo numentos; resistir ao testemunho, e á decisao da Igreja, e buscar a palavra de Deos na Es criptura, cuja autenticidade hesó conhecida

pelo attestado constante da Igreja desde Jesus Ohristo, e OS: Apostolus até nós, he incon seqnencia mui manifesta; e nao he menor inconsequencia despresar a authoridade da Igreja ácerca de qualquer dogma, e inculcar submissão as outras verdades reveladas.' ... .. ..

He por tanto evidente que da heresia se passa por uma consequencia necessaria ao So. cinianismo, e deste ao Deismo : oš Socinianos ou Unitarios regeitam todos os mysterios : sómente admittem aquelles dogmnas, que estão ao alcance da intelligencia de cada um (Cuthecisnio de Racow redigido por Socino): .conseguintemente negam a Santissima Trindade, a divindade de Jesus Christo, a Incarnação, as satisfações do Salvador, a communicação do peccado original, os effeitos dos Sacramentos, a operação da graça, a justificação soc.: não reconhecem em Deos algum dos attributos, que a rasão não péde:conceber, sua infinidade, eternidade, omnipotencia , &c.não adinitierna creação em rigor, porque não concebem, dizeni, elles, como Deus possa dar existencia ás substancias só por um acto de sua vontade : tisam a Deos a presciencia dos futuros contingentes, e alguns até negam a Providencia : Je. isus Christo, segundo elles, não foi mais que um homem sabio, e Santo, que Deos ofez apparecer no mundo para dar aos homens ligocs, e exemplos de virtude: admittem, como os Protestantes só dous Sacramentos, Baptismo, e bên , a que não attribuem outra virtude, sendo

excitar a fé : negam a necessidade de uma res. surreição geral, e a eternidade das penas da Inferno: crêem que as almas dos nos seraó aniquiladas, e que as dos bous gozarao uma feli. cidade eterna : affectam o maior respeito para i a Revelacão na sagrada Escriptura , porém á: força de regras de critica , de observações gram. inaticaes, de pontuações arbitrarias, de varian: tes, defeitos dos copistas, confrontações de pas, sagens, subtilezas de Dialectica, fazem dizer aos Escriptores sagrados tudo , quanto lhes agra-:: da : posto isto he eyidente que o Suciniano pao : differe do Deista , senao apparentemente, e que os principios adoptados pelos Protestantes por uma cadea de consequencias necessarias fundaram o Socinianismo, e deste nasceo o Deisme rigoroso, e propriamente dito : as objecções dos Deistas modernos contra os dogmas revelados, pela maior parte são tiradas dos Socinianos, e · estes tomaram seus principios e a maior parte dos seus dogmas dos Protestantes.. . . .

O Deismo não he um systema menes in- ; consequente: už Deista, que raciocina , não po. de jamais firmar-se em sua doutrina, mas de consequencia em consequencia se achará insensivelmente abysmado no Atheismo... e Materia

[ocr errors]

· lismo , e femfim no Pyrrhonismo absoluto, uti mo termo da incredulidade. Isto ho demonstra do, não só pelas objecções dos Materjalistásk. contra os Deistas, mas tambem pelos factos , porque os mais celebres incredulos, depois de terem pregado o Deismo, vieram por fim a enisinar decididamente o Materialista. Deista het um homem, que reconhece a Deos, é profesa sa o culto, qué a "rasão humana deixada a sí mesma nos ensina, que se deve dar a Deos, a que chamam religião natural: ja provanios (26. sva que tal religião he uma chimera. 0 Deista ro." geita por tanto toda a Revelagão, e todos os mysterios. Os Atheos tem deinonstrado aos De istas, que uma vez que admittem um Deos, såo obrigados por forca do raciocinio a adrnit. tir mystcrius, milagres, e revelações; e com effeito os attributos de Deos todos são mysterios; come supremo Legislador, e governador da na.' tureza póde preduzir um phenomeno contraria ás leis phisicás do Universo, que elle mesmo es-, tabeleceou e temos 0 milagre; e como Author do Universo, benefico, e providn nio devia deixar os homens entregues á fraqueza de suas propriảs luzes em materia de religião, mas exigindo delles um culto, devia ensinar-lhes o mode deste culo, que 'The aprazia, e eis a revela ção: Os Atheos tem atém disso objectado aos Deistas, que sua porteridida' religiio natural es

« PoprzedniaDalej »