Obrazy na stronie
PDF
ePub

tormentos, as alentava a supporta-los constan, temente, como argumenta Dodwel; tambem a honra de seguir a Religião do Estado, a con. servação das dignidades, e postos militares, o recobramento de seos bens e riquezas, o gozo emfim dos prazeres da vida, premio de sua apostasia, e a infamia de morrer por uma Re. ligiao proscripta pelas leis, detestada pelos Imperantes, e Magistrados, e povo Pagaó, os de via retrair de perseverar nella, ainda quanda seo proseguimento lhes nao custasse tantas dores, e taó violenta morte. O dezejo de alcan, car o perdao dos peccados commetidos, a esperanga de uma bemaventuranga eterna reforcava sein duvida a constancia dos Martyres, e os tornava , para assim dizer, insensiveis á crueldade dos supplicios, porém este desejo nao era inspirado pela natureza, pois nað he geral em todos os homens; emanava conseguintemente de uma origem superior á mesma natureza : e he absurdo sustentar que a coragem nascida de um motivo sobrenatural he, não obstante, natural.

Os tormentos, que precediáo a morte dos Mariyres eram exquisitos , e horriveis, a vista só daquelle apparato carniceiro sobejava a desmai ar um guerreiro intrepido, e não assustava uma mimoza donzella de 13 annos, um menino inpubre, un velho caduco. Podemos intender somo naturalmente um homem animado de uma

er

paixao violenta, que o cega, traga uma morte. momentanea , ao parecer impavido; mas com re. flexao, na sangue frio nað se vio jámais afrontar uma morte vagarosa e afflictissima, poden. do aliaz evita-la, senão aos Martyres do Christianismo), Cija paciencia, modesta, e tranquil. la vencia a crueldade dos algózes; não se quei. xavio, não gemiio, não insultaváv seos perseguidores. Se o Atheo Lucilio, perseverando teimôzo em seo ecro, caminha ao supplicio, teranina seos dias rapidamente suffocado pelo fu go, onde he lancado timido, e vacillante : mas continuaria elle sua obstinacio cm erro tão cras$0, se a fugo leto fosse tostado n'umas gre. Ihas, como o illustre Martyr S. Lourenço? Esses Albigenses, Montanistas, Protestantes, e Mahometanos, que nos oppoem, como Martyres de suas superstigoens, supportaram os supplicios pela mesma necessidade, com que os soffre uin facinorozo: a maior parte os teria evitado, se lhes fosse possivel; e os Hugonotes não morrerain pela Religião, mas pelos crimes de revolta, e sedicão, assassinatos, e incen

dios. Milagres assonabrosos acompanhavam mui• tas vezes as execucoens dos Martyres, como

nos consta dos Apologistas da Religio, que oitão testemunhus oculares destes faetos. i Prisca, donzela Romana, de 13 annos de - idade, não querendo sacrificar aos idolos, fo

primeiramente esbofeteada, e motida no carcée re; perseveraodo constanie em sua f, foi acoutada, e lhe untáram as contusiens, e golpes dos acoutes com oleo fervente: dahi'a trez dias he lançada aos Leoens no amphiteatro, que humilics e fagueiros se prostram a seos pés, e nio ouzao toca la é novamente atorinentão a delicada virgem subtraindo-lhe todo o alimento no espago de irez dias; kie depois suspensa no equuleo, e descarnada com unhas de ferro; sendo ewfim arremessada n'uma fogueira ardente, o fogo a respeita, e sae deste supplicio illésa , e salva: coroou seo martyrio, sendo degolada.

Vicente Diacono, natural de Huesca na Hespanha , sendo prezo, e agoulado, e cruel. mente atormentado 10 equuleo na prezenca de muito povo, perseverando constante na confis. são de Jesus Christo, he estendido n'uma greJha sobre carvoens accesos , ' rasgado seo corpe @om unhas de ferro , e torrado com laminas abrasadas, dando-lhe emfim por leito na escura masmorra un estrado de fragmentos de ii. jólo duros, e escabrosos: mas uma celeste luz olarissima illuminou bem depressao tenebroso carcere com espanto de todos os prezentes, e este maravilhoso acontecimento foi logo denunciado pelo carcereiro ao Governador da Provincia. Daciano, que mandando trasladar o Martyr para mu Golxão miinoso , elle immediatamente expiroli. 5. A illustre Virgem Romana, Martinho, de. pois de ter supportado com invicta constancia os acoutęs, as unhas de ferro, e a incisão de seu corpo, membro por membro, e ser untada coin oleo fervente, he lançada ás feras, mas nenhuma se atreve a offendê-la; e fica da mes. ma sorte illesa entre as chamas, a que fora condemnada. Esta Santa Martyr com suas oracoens fez derribar Templos Pagios, e consumir seos idolos, ora por violentos terremotos, ora por meio de raios abrasadores : algumas vezes se vio romper de suas feridas leite e sangue, e de todo o seu corpo emanar brilhantissiino esplendor, e suarissimo cheiro: accabou seo mar. tyrio, sendo degulada , e no mesmo momento um horrivel terremoto assombrou toda a Roma. Era tao ordinaria nos Martyres do Christianis. mo expostos no amphitheatro ás feras a maravilha de não serein por ellas offendidos, que o Martyr S. Ignacio , Bispo de Antiochia escrevendo aos Romanos, lhes expõe o recéio , que tinha de que sendo condemnado ás foras, estas nio quizessem tocar seo corpo, como cos! Umava acontecer aos outros Martyrcs — ne, sicut et aliorum Martyrium , non audeant corpus attingere.

0 Bispo Erasmo, na perseguição de Dio· eleeiano, depois de açoutado com varas, e la

tegos chumbados he banhado todo com resina,

enxofre, e chumbo derretido , pêz, cêra , e oleo fervente, de cajo supplicio escapa são, e sal. Vo: encarcerado, e seguro com apertadissimos grilhoens de ferro, he solto por un Anjo : vestido com uma lunica de cobre em braza, sae da mesma sorte illeso deste tormento: Seria pre. ciso um grande volume para indicar os rasgos de constancia dos Martyres do Christianismo, e os milagres portentosos, que Deos operou por occasião de seo martyrio.

Nosso divino Salvador tinha prometido dar a seos discipulos gragas, e un soccorro so. brenatural na occasião das perseguiçoens : “ eu ,, vos darci, lhes disse urna sabedoria, á qual ,, não poderáo resistir , nem contradizer todos ,, os vossos adversarios.... pela paciencia posi, suireis vossas almas em paz: ,, (S. Lue. C. 21. v. 15, 19.) " vós sofrereis neste mundo, ,, mas tende confiança, eu venci o mundo : ,, ( S. Joio c. 16, v. 33.) S. Paulu escrevendo aos Philipenses, lhes diz: " Não temais vos. ,, sos inimigos.... fui-vos dado por Doos, não „, só c rer em Jesus Christo, mas tambem pa», decer por elle : , ( ad Philip. c. 1. v. 28, e 29.)

Os fieis contavaó com esta promessa , e nio congavam em suas forças: pelo que se pre: paravam para o martyrio com o jejuin, com a oração, e com a penitencia, e a isso eram

Mes

« PoprzedniaDalej »